Sábado, 2 de Setembro de 2006

O Sumbmarino Português Espadarte ( 1913 - 1931 )

Às 11 horas do dia 15 de Abril de 1913, há 90 anos atrás, celebrou-se a entrega oficial e solene do primeiro submersível português “Espadarte” no porto Italiano de La Spezzia. Contava então com 21 imersões efectuadas na fase das experiências com Italianos e Portugueses.

 

Pela primeira vez, a meio da tarde do dia 15 de Abril de 1913, uma guarnição formada exclusivamente por portugueses entrava em imersão no Golfo de La Spezzia. O primeiro Comandante do “Espadarte” – 1º Ten Joaquim de Almeida Henriques – recebeu um estojo da primeira guarnição com um artístico tinteiro de prata com pena de ouro, tendo sido usada nas assinaturas da acta de entrega, pelos oficiais portugueses e pelos directores do estaleiro e da Fiat.

Nesse tinteiro estava gravado: “Aos oficiais da Missão Naval Portuguesa, oferece a guarnição do submersível Espadarte”,... e nas três faces da pena podia ler-se: “Zelo – Aptidão – Honradez”.

- O início da “saga” dos submarinos Portugueses que receberam pela primeira vez o lema por que sempre se pautaram – “A Pátria servir com zelo aptidão e honradez”.

Estava destinada a ser árdua, bastante atribulada e difícil a chegada dos Submarinos a Portugal, primeiro com a luta incessante da Liga Naval Portuguesa com o objectivo da renovação da frota nacional onde incluía necessariamente os Submersíveis, passando pela  acção dos pro Submersíveis, que se preocupavam em elevar mais alto a sua voz em acções de esclarecimento da necessidade da arma e por fim na tão atribulada viagem do primeiro submersível, que partiu a 4 de Maio de 1913 de La Spezzia e só chegou a Lisboa a 5 de Agosto de 1913. Durante o trânsito, o “Espadarte” teve que vencer vários problemas que o obrigaram a arribar por diversas vezes, entre os quais avarias nos dois motores de combustão e as consequências do mau estado do mar. A viagem inaugural de 1400 milhas num meio de grande novidade e discreta pequenez, sem escolta e num mar revolto... não seria uma façanha, mas, pelo que envolvia de coragem, de confiança (e até talvez de um pouco de imprudência), era coisa bem própria de Portugueses.

O primeiro Submersível chegava não só a Portugal mas à Península Ibérica,... a nossa vizinha Espanha não possuía ainda Submersíveis. Portugal adiantara-se na adopção dessa nova arma de guerra naval e o “Espadarte” foi assim, ao tocar nos portos Espanhóis de Barcelona, Valência e Alicante, motivo de forte interesse oficial e popular. O jornal “El Guante Blanco” de Valência, num artigo intitulado “El terrible submergible”, comentava:

“La aparicion del submergible português “Espadarte” – el Escalante, como decian los chiquillos del Gra – en nuestro porto, ha  sido  un verdadeiro exito para el digno representante de nuestra vecina Republica Lusitana. No han visto ustedes el submergible portugues? Vaya una cosa bonita, por lo rara!”

Assim falavam os espanhóis em contraposição com alguns portugueses que escreviam certas palavras insensatas sobre a feliz ideia de dotar a Marinha Portuguesa com a arma submarina. Cedo essas bocas foram caladas com a expressão máxima da capacidade da arma – os torpedos – com ogiva de exercício foram lançados frente a Algés contra um rebocador do Arsenal e contra o torpedeiro nº 3 tendo as esteiras passado precisamente sob os alvos visados. Para além deste exercício foram efectuados mais quatro até final do ano onde foi possível testemunhar o factor surpresa e a incrível capacidade de descrição em acções simuladas contra cruzadores, torpedeiros e contratorpedeiros. Uma das testemunhas num destes exercícios foi o Presidente do Ministério, que ao assistir ao mérito e eficácia do “Espadarte”, assentou a encomenda de mais 3 submarinos. Do sucesso destes exercícios resultaram ainda três certezas:

- As guarnições dos nossos cruzadores e contratorpedeiros mostraram uma ausência total de treino;

- O pessoal do “Espadarte” tinha demonstrado que a arma submarina se apresentava com perspectivas de eficiência;

- Não devíamos nem podíamos suster a nossa marcha no sentido de criar na Marinha Portuguesa uma força de acção submarina.

De início, sem outros da sua espécie, o “Espadarte” começou com uma tarefa importante neste período conturbado da primeira guerra, como patrulhador da entrada da Barra de Lisboa.

Silva de Pinho

Retirado da Revista da Armada e adaptado por IdeiasFixas2.

Características Técnicas

  • Deslocamento à Superfície: 245 toneladas;
  • Deslocamento em Imersão: 300 toneladas;
  • Comprimento: 45 m;
  • Velocidade Máxima à Superfície: 14 nós;
  • Velocidade Máxima em Imersão: 8 nós;
  • Autonomia: 1500 milhas;
  • Guarnição: 21:
  • Armamento: 4 torpedos lançáveis por 2 tubos.
tags:
publicado por sá morais às 12:53
link do post | comente aqui! | favorito
|
2 comentários:
De rui martins a 3 de Setembro de 2006 às 21:30
seria muito moderno em 1913, mas estava no activo ainda em 1931?... não devia ser das coisas mais seguras na nossa Marinha, não...


De sá morais a 4 de Setembro de 2006 às 00:23
Nós sempre fomos muito... poupadinhos... Mas é interessantes que tenhamos tido um sub. antes dos Espanhóis...


Comentar post

IdeiasFixas

pesquisar

 

Dezembro 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
31


conversa recente

Retratos ( reais ) de Vis...

A "outra" verdade sobre V...

Viseu: qualidade de vida ...

Viseu: Qualidade de Vida ...

A verem-se gregos, não pa...

OPORTUNIDADE!

Goor - A Crónica de Feagl...

Goor - A Crónica de Feagl...

Natal 2011 - Regresso dos...

Regresso dos Deuses - Reb...

Ficheiros

Dezembro 2015

Setembro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Agosto 2013

Janeiro 2013

Fevereiro 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Fevereiro 2011

Março 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

tags

todas as tags

Amigos e Conhecidos

eXTReMe Tracker
We talk about everything! Visit us! Falamos de tudo um pouco! Visite-nos
Blog directory
Blog Directory & Search engine
Estou no Blog.com.pt
Blogalaxia

adopt your own virtual pet!

subscrever feeds